Grupo Sautlink | Supplier Chain Network

Comprar e vender nas Redes Sociais, pode e como começar?

POR KAREN REIS E WINNA ZANSAVIO

Responder esta questão é fácil, nem precisa pensar muito – pode sim. Como começar?  Do ponto de vista tecnológico é bem simples, basta ter uma conta no Facebook e/ou no Twitter, assinar um contrato digital de serviços com alguma empresa provedora de solução para Social Commerce, criar uma conta com uma ou mais integradoras de meio de pagamentos (Paypal, Pagseguro, Moip) e pronto!?

Se o ato de comprar e vender só dependesse das relações tecnológicas e mecânicas seria fácil, mas a realidade não é bem assim, as relações comerciais são acima de tudo relações humanas e sociais, com atributos regados de segurança, confiança, credibilidade e reputação.

Este último “reputação” no mundo digital conta muito, difícil de conquistar, entretanto fácil de perder e quando temos as redes sociais envolvidas nestas transações, se faz necessário mais atenção e planejamento.

O termo Social Commerce trata-se da união entre Social Media (traduzindo para o português – redes sociais)  e o e-Commerce (traduzindo para o português – comércio eletrônico), ou seja, transações comerciais de produtos e/ou serviços pelo uso das redes sociais.

O advento da internet 2.0, o crescimento das redes de comunicação e a mobilidade digital, colaborou para que este tipo de negócio criasse condições formidáveis para a prática do comércio eletrônico, independentemente do porte da empresa ou segmento de atuação, todos podem usufruir deste magnífico meio comercial. Não podemos esquecer de mencionar, o Social Commerce também facilita a vida de muitos profissionais autônomos ou quem está começando e apostando numa nova jornada profissional.

Você pode ter sua loja virtual no Facebook ou no Twitter, se preferir nas duas redes sociais mais famosas do planeta, mas vale ressaltar que administração de uma loja virtual para a prática de comércio eletrônico requer cuidados e uma atenção redobrada quando se trata de redes sociais, caso não esteja pronto para receber críticas, reclamações ou até mesmo sugestões, não hesite, pense e reflita muito bem se o momento é oportuno para tal exposição.

No Facebook, o comércio eletrônico é conhecido como Facebook Commerce ou simplesmente f-Commerce, basta você ter uma Fan Page e solicitar aos seus clientes, parceiros de negócios e até mesmo seus amigos “curtirem sua página”. É bom lembrar, você precisará de no mínimo 30 “curtis” para sua Fan Page começar a criar estatísticas de audiência, depois disso sugerimos uma pesquisa sobre as principais plataformas de social commerce prontas para você começar seu negócio e melhor de tudo com integração com os principais meios e formas de pagamentos conhecidos na internet, como o Paypal, PagSeguro ou Moip – facilitando assim, a vida para quem vende e para quem compra. Vale lembrar novamente, você precisará de ter uma conta aprovada pelo Paypal ou PagSeguro ou Moip para poder receber de seus clientes.

Aqui no Brasil temos as brasileiríssimas LikeStore (www.likestore.com.br) e a Facileme (www.facileme.com.br) como soluções de f-Commerce e para as transações comerciais no Twitter, se preferir use o termo t-Commerce, temos a mineira Plu$tter (www.plustter.com). Todas estas soluções são totalmente seguras e garantem serviços em 24×7, 24 horas por dias em 7 dias da semana ininterruptos.

Cada vez mais pessoas estão presentes nas redes sociais, não há dúvidas, não é uma onda passageira, chegou pra ficar e amadurecer as relações humanas, consequentemente relações comerciais. Eu, você, clientes, parceiros de negócios, concorrentes, amigos, interagimos, compartilhamos, seguimos, curtimos conteúdos relevantes para nós e quando achamos importantes não hesitamos em adquirir produtos e serviços, e por que não pelas redes sociais?

Uma pesquisa recente da E.life, empresa especializada em gestão de redes sociais, revelou que a maioria dos usuários do Facebook ficam cerca de seis horas por dia conectados. De acordo com o estudo, o Facebook também é o mais usado pelos brasileiros, com 88,9%; 41% dos entrevistados usam o Twitter, que fica em segundo lugar; o MSN está em terceiro, com 34,3%; o Orkut, que já foi o mais acessado tem, atualmente, 31,7% dos internautas concetados e o YouTube outra parcela menor, de 21,7%. A pesquisa revelou, ainda, o local em que os usuários mais acessam determinadas redes sociais. No Facebook, a maior parte acessa a rede de sua própria casa (92%). Já o Twitter é a rede mais utilizada do trabalho das pessoas (49%).

Diante deste cenário tão propício ao relacionamento e otimista para gerar negócios, investir no Social Commerce requer planejamento e alinhamento com as áreas de marketing, social media, vendas, atendimento, tecnologia e produção, sobretudo, disciplina na produção e gestão de conteúdo e não deixar de estabelecer aderência com produtos ou/e serviços ofertados no canal do comércio social. Lembre-se, informações relevantes e qualificadas são motores para geração de receita.

Uma dica importante para quem quer valorizar o Social Commerce é criar um canal de relacionamento com duas características funcionais – um com atendimento “público”, ou seja, responder perguntas ou comentários e deixá-los nos murais, isso porque, a dúvida ou comentário de um internauta pode ser respondida para outro, facilitando assim a interlocução;  e outro foco de atendimento com característica “privado”, ou seja, mensagens diretas aos seus seguidores ou fans. Nunca deixe de responder seu seguidor/fan, tenha em mente ele é seu replicador de negócios, sua força de vendas espontânea e voluntária.

Uma boa saída para atender seus seguidores/fans é um FAQ (Frequently Asked Questions) que significa “Perguntas mais frequentes” e ali postar perguntas-respostas sobre sua empresa, seus produtos e suas características, serviços, meios e formas de pagamentos, prazo de entrega, embalagens, valor do frete, outros canais de compras, etc….Só não esquecer de postar os dados de contato, lembre-se dificilmente você terá sucesso sem ter pelo menos uma informação de contato, faça você mesmo uma indagação, você compraria algo com cartão de crédito no mundo digital sem ter um dado de contato? Então, deixe bem visível para seguidores/fans informações de e-mail e se possível um telefone fixo com DDD.

Para quem quer se aperfeiçoar e se capacitar no Social Commerce, a Sautlearning (www.sautlearning.com) – divisão de educação, pesquisa e desenvolvimento do Grupo Sautlink (www.sautlink.com), desenvolveu um programa de curso para atender esta demanda de profissionais.  Em apenas 8 horas, será apresentado 16 temas essenciais para montar e gerenciar de forma eficaz uma loja virtual dentro do Facebook e do Twitter. Confira abaixo os principais temas do curso:

  • Estrutura de Plano de Negócios e Definição de Estratégias para engajamentos para Cibernegócios
  • Comércio Eletrônico e suas evoluções
  • O que é rede social? O que é comércio social?
  • O abc…z do Facebook – Redescoberta do Facebook
  • A convergência com outras mídias sociais e Recursos do Facebook
  • Criando uma Fanpage – interface & design
  • Introdução ao Marketing digital – fundamentos e aplicações no Facebook
  • Marketing Viral Sustentável e suas implicações para um bom êxito
  • Criando anúncios e mensurando métricas
  • O que são apps? E como elas são agregadores de oportunidades de negócios
  • Facebook Developers
  • LikeStore – ferramenta facilitadora de Fcommerce
  • Formas e Meios de Pagamentos – Credenciamento de Estabelecimento e Cotas de Receita
  • Aspectos Legais e Cibercrimes
  • Certificações Digitais
  • Tecnologias Móveis, Inteligência Competitiva e Tendências do Mercado.

Assuntos relacionados

Postado em Sautlearning, Sautlink

Comentários postados: (0) →